lillylovesgreen

sobre tudo um pouco

mixed feelings 26 abril, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 8:14 pm

Ando ultra confusa (mais que o habitual) e sem razões muito claras pra isso.

Ou cem razões, não sei.

Dúvidas de ordem moral, cívica, de princípios, valores e tudo mais que vem junto com isso andam povoando as minhas idéias, com histórias de amigos, lembranças de diálogos e outras experiências.

Anúncios
 

de repente, califórnia 19 abril, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 4:00 pm

ou melhor, quase.

 

the one 18 abril, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 1:34 pm

Esses dias estava pensando: será que depois de viver tanta coisa, fica um pouco mais difícil ser autêntica? Não deveria ser o contrário, quanto mais a gente vive coisas diferentes, com pessoas diferentes, mais a gente se forma como uma pessoa única e original?

Não sei.

Isso tudo porque a gente sempre quer ser especial, né? Fazer programações que ninguém nunca fez antes, ouvir (e dizer) coisas que nunca foram ditas, criar apelidos exclusivos, dar presentes nunca antes dados e o principal, ter sentimentos nunca antes vividos com ninguém. Só que com o passar do tempo isso vai ficando mais difícil mesmo, porque a gente cada vez de vive de maneira mais intensa, conhece tanta gente, sente tanta coisa…

Oh God! Tudo isso porque estou precisando um pouco mais de criatividade e estou me sentindo repetitiva, sei lá.

O desejo de ser única  me remete a outro mais antigo.

 

a vida tem sido muito generosa 14 abril, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 6:40 pm

Olhar-se ao espelho e dizer-se deslumbrada: Como sou misteriosa. Sou tão delicada e forte. E a curva dos lábios manteve a inocência.
Não há homem ou mulher que por acaso não se tenha olhado ao espelho e se surpreendido consigo próprio. Por uma fração de segundo a gente se vê como a um objeto a ser olhado. A isto se chamaria talvez de narcisismo, mas eu chamaria de: alegria de ser. Alegria de encontrar na figura exterior os ecos da figura interna: ah, então é verdade que eu não me imaginei, eu existo.

Surpresa, Clarice Lispector em A Descoberta do Mundo.

 

confissão 5 abril, 2011

Filed under: música — Ligia @ 5:44 pm
Tengo que confesar que a veces
no me gusta tu forma de ser
luego te me desapareces y no entiendo muy bien por qué
no dices nada romántico cuando llega el atardecer te pones de un humor extraño con cada luna llena al mes.

Pero a a todo lo demás le gana lo bueno que me das sólo tenerte cerca siento que vuelvo a empezar.

Yo te quiero con limón y sal, yo te quiero tal y como estás,
no hace falta cambiarte nada,
yo te quiero si vienes o si vas,
si subes y bajas y
no estás seguro de lo que sientes.

Tengo que confesarte ahora
nunca creí en la felicidad
a veces algo se le parece, pero
es pura casualidad.

Luego me vengo a encontrar con tus ojos y me dan algo más
solo tenerte cerca siento
que vuelvo a empezar.

 

fernando pessoa 1 abril, 2011

Filed under: dia-a-dia,livros — Ligia @ 8:01 pm

“O que é preciso é ser-se natural e calmo tanto na felicidade e na infelicidade, sentir como quem olha, pensar como quem anda, e quando se vai morrer lembrar-se que o dia morre, e que o poente é belo, e é bela a noite que fica”