lillylovesgreen

sobre tudo um pouco

zuzu zen 28 maio, 2010

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 4:32 pm

Prestes a fazer mais uma viagenzinha que vai misturar trabalho&lazer. Muito bom para mudar de ares e revigorar as energias. Precisando muito de novos papos, novos cenários e , especialmente, novas pessoas.

Alles neu, wieder neu, immer neu!

Anúncios
 

Steal my kisses 26 maio, 2010

Filed under: música — Ligia @ 7:37 pm

Now I’ve been hangin around you for days, but when I lean in you just turn your head away
Oh no, you didn’t mean that 
He  said ‘I love the way you think, but I hate the way you act’ (Ben Harper)

Como é difícil mudar algumas atitudes!

 

não por acaso 24 maio, 2010

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 8:41 pm

Outro dia, na volta pra casa, uma mulher foi atropelada. Tragédia que faz parte da rotina em uma cidade grande e quase banal se não fosse pelo medo do destino que eu senti.

Ela estava no mesmo supermercado que eu, pagou no caixa do lado do meu e empacotou as coisas ao meu lado. Meu telefone tocou e eu demorei mais tempo pra sair, fizemos o mesmo caminho e ela foi pega pela moto na frente da minha casa. Fiquei realmente chocada com ela estendida no chão e com os segundos que me separaram de uma possível tragédia. Veio ambulância, ela ficou bem.

O susto com a fragilidade da nossa vida e como tudo acontece porque tem acontecer me fez lembrar um filme em que o rapaz perde a namorada e fica revivendo os segundos antes dela sair de casa, como ele poderia ter demorado mais para levantar, como ele poderia ter feito café da manhã para ela sair de casa mais tarde de casa etc etc etc

Os atores são ótimos e o filme, lindo. Ainda mais por retratar São Paulo de um jeito único.

Fica a dica: Não por acaso

 

desejo, agora! 21 maio, 2010

Filed under: dia-a-dia,música — Ligia @ 4:31 pm

Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós, na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia…

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno
anti-monotonia…

E se eu achar a tua fonte escondida
Te alcanço em cheio
O mel e a ferida
E o corpo inteiro feito um furacão
Boca, nuca, mão e a tua mente, não

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio que me dê alegria…

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia
E algum veneno anti-monotonia…

(Cazuza e Frejat, Todo Amor que Houver nessa Vida)

 

Em julho fará 20 anos (!!) da morte do Cazuza. Eu era pré-adolescente e me lembro de ter chorado quando soube da notícia, além do choro veio também uma briga com a melhor amiga da época que achava um absurdo eu chorar por um cara drogado. Afe! Um poeta, eu dizia repetindo o que ouvia da minha mãe.

Hoje, depois de tanto tempo, amores e corações partidos, entendo e me emociono ainda mais com sua poesia.

 

variações sobre o mesmo tema 19 maio, 2010

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 5:53 pm

Algumas frases inspiradoras que surgem nas aulas de Estética:

“quanto mais se é eclético, mais é possível interpretar”

“é fundamental se sentir seguro diante da realidade”

“o valor de uma obra de arte não depende daquilo que a inspirou, mas do modo que a inspiração foi elaborada pela imaginação de quem a vê’

“conhecer é um ato violento”

“eu só sei o que eu sou porque tenho o parâmetro do que está fora de mim”

ai ai ai, estou adorando tudo isso.

 

brand new start 16 maio, 2010

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 8:48 pm

Ai, cansada da rotina, das mesmas dúvidas e do mesmo blábláblá. Precisando de novos ares e de um refresh nos assuntos repetidos e no dia a dia cansativo, tempo de take advantage of the season, to take off my overcoat

Jajá faço uma viagem bacaninha, tudo isso por um começo novo em folha.

 

recuerdos (ou post difícil de nomear) 9 maio, 2010

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 11:36 pm

Eu faço as minhas coisas e você faz as suas.
Não estou neste mundo para viver de acordo com suas expectativas
E você não está neste mundo para viver de acordo com as minhas.
Você é você e eu sou eu.
E se por acaso nos encontrarmos, é lindo.
Se não, nada há a fazer

Há muito tempo me deram a ‘oração da gestalt’ escrita num papel com um desenho especial. Foi o resultado de uma conversa infinita, dessas que parecem que você nasceu pra conversar com aquela pessoa e que nunca duas pessoas se entenderam tão bem na história. Só que a gente estava vivendo coisas diferentes e não tínhamos nada pra deixar de sermos só amigos…

Assim como naquela época, continuo não acreditando em ‘pessoa certa na hora errada’ e, agora, tenho cada vez mais dúvidas se é realmente possível viver sem criar expectativas.