lillylovesgreen

sobre tudo um pouco

atividades encerradas 29 setembro, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 3:11 pm

 

dica 15 setembro, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 2:34 pm

 

 

 

daqui: http://www.thecoolhunter.net/

 

 

 

 

 

 

o meu coração tem mania de amor 11 setembro, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 3:56 pm
 

motivo 6 setembro, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 11:07 am

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
– não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
mais nada.

(Cecília Meireles)

Esse poeminha era o primeiro no meu caderno de poesias da oitava série, naquela época adorava Cecília Meireles e Carlos Drummond de Andrade e sabia várias de suas poesias de cabeça, essa era uma delas. O momento atual me fez lembrar do trecho “não sei, não sei – não sei se fico ou se passo” e deu uma saudade gostosa das poesias daquela época.

 

pensamento do dia 31 agosto, 2011

Filed under: dia-a-dia — Ligia @ 3:05 pm

 

The surface is gone. I scratched it off 29 agosto, 2011

Filed under: música — Ligia @ 3:11 am

The moment has come to face the truth
I’m wide awake and so are you
Do you have a clue what this is (I don’t know)
Are you everything that I’ve missed? (I don’t hope so)
We’ll just have to wait and see (wait and see)
If things go right, we’re meant to be

Modern Nature – Sondre Lerche and Lillian Samdal

 

frases (ou estrofes) da semana 26 agosto, 2011

Filed under: música — Ligia @ 9:46 pm

“Mentiras sinceras (não) me interessam”

“Hoje eu acordei com sono e sem vontade de acordar
como pode alguém ser tão demente, porra louca
inconsequente e ainda amar, ver o amor
como um abraço curto pra não sufocar
ver o amor como um abraço curto pra não sufocar”

“Pra quem não sabe amar, fica esperando
Alguém que caiba no seu sonho”

“Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor”

“O teu amor é uma mentira
Que a minha vaidade quer
E o meu, poesia de cego
Você não pode ver”

“Eu quero a sorte de um amor tranquilo
Com sabor de fruta a mordida
Nós na batida no embalo da rede
Matando a sede na saliva”

100% Cazuza